domingo, 22 de setembro de 2013

She-Ra


Esta gatinha que agarro com tanto gosto é a She-Ra, u-ma-gos-to-si-nha!




Eu já tinha atendido a She-Ra há 2 anos e meio, quando ela mancava da pata dianteira esquerda porque morria de dor quando encostava no chão. Ela tinha uma artrose gigantesca e inicialmente tinha sido recomendado ou uma cirurgia para imobilizar o cotovelo ou então amputar a pata. Os antiinflamatórios não estavam mais ajudando tanto na dor, além de cortar o apetite. 


Começamos a fazer acupuntura, ela passou a sentir menos dor e voltou a brincar, mas por estar se estressando com a manipulação nas sessões, optamos pelo implante de ouro, pois assim ela passaria a ter o estímulo dos pontos constantemente sem ter que ser manipulada e o ouro (Au++) reagiria com as calcificações (Ca--) e dessa forma não deixaria a artrose piorar.

Naquela época ela ficou bem, e para minha surpresa a She-Ra e sua dona me procuraram este ano novamente com a queixa de que estava mancando novamente com a pata da frente. Quando foram ao veterinário tirar outra radiografia, descobriram que ela estava com artrose na outra pata (direita), e uma surpresa muito legal: a radiografia da pata esquerda mostrava que a artrose onde foi feito o implante de ouro há 2 anos tinha diminuído! E até na palpação pareceu que estava com menos volume no local. Ah, e ela deixou apertar, ou seja, está sem dor!


Como já tínhamos um histórico de sucesso com a pata esquerda, não pensamos duas vezes: na semana seguinte fizemos o implante de ouro na pata direita, pois estava doendo muito, ela não podia nem enocostar a patinha no chão.

Poucos dias após o implante ela já estava apoiando a patinha e voltando a interagir, a brincar, ou seja, voltou a ser uma gatinha feliz.

O vídeo abaixo foi feito 2 semanas após o implante.


video

Ainda bem que naquela época resolveram tentar tratar de forma conservativa antes de amputar. Já pensou como seria desta vez, já sem a outra patinha? E ela está tão bem agora...

Fico muito feliz com casos assim como o da She-Ra, pois a qualidade de vida do paciente reflete na qualidade de vida das pessoas que vivem com ele. Assim, indiretamente deixo mais pessoas felizes e isso é muito gratificante :)


Peter

Este bonitão imponente é o Peter.



Quem viu ele no início do tratamento dificilmente conseguiria imaginá-lo assim, tão perfeitinho.

O Peter pegou aquela temida doença, a Cinomose. Quando o conheci, ele ainda estava internado no "isolamento", recebendo medicamentos alopáticos para livrá-lo do vírus, e continuou assim por mais um tempo, até porque ele estava com o comportamento muito alterado, tão agressivo e medroso ao mesmo tempo, que tentava atacar todo mundo que chegasse perto.

Com a dedicação dos veterinários e enfermeiros ele venceu a doença, os exames deram negativos, mas como já era esperado, ele acabou ficando com as sequelas: O Peter continuava com aquele comportamento agressivo, não conseguia ficar em pé pois não apoiava bem nenhuma das patas.

Depois da primeira sessão o Peter já começou a apoiar melhor as patas e a cada sessão foi melhorando o equilíbrio, até que lá pela terceira sessão começou a arriscar alguns passos sozinho, e sempre foi melhorando, a cada sessão trazendo uma novidade: caminhando bem, começando a correr, a brincar, conseguindo subir sozinho na caminhonete...

Aos poucos o comportamento também foi melhorando, então nas últimas sessões nem precisamos mais da focinheira.

Depois que ele começou a caminhar sozinho, fomos aumentando o intervalo entre as sessões para cada 2 semanas, depois 3 semanas, 1 mês, e como ele continuou bem, sem nenhuma recaída, o Peter recebeu alta com muita festa, com direito a muitos paparicos e até ossinhos.

A essa hora ele deve estar correndo pela chácara bem feliz, tirando o atraso. Eu fico muito contente só de imaginar.


video


segunda-feira, 24 de junho de 2013

Luna


Esta moreninha é a Luna! E a polaquinha é sua filha Cookie.



Sua mãezinha humana chegou aqui no consultório desesperada porque ela estava sem mexer nenhuma das 4 patas e nem mesmo o pescoço, estava toda mole.

Isso aconteceu numa noite de repente.

Ela foi internada, porém sem diagnóstico e sem melhora, foi para casa e passou mais 21 dias em estado de coma, perdeu visão e audição. Chegou a escutar de algumas pessoas que ela morreria assim. 
Mas como a sua mãe queria muito vê-la recuperar, a Luna ganhou comida e água na boca, além de muito amor e carinho.

Um dia, conversando com uma amiga, recebeu o conselho e me procurou. 

A Luna apresentava um quadro muito esquisito, ela parecia uma boneca de pano, não parava em pé, não sustentava a cabeça, tinha espasmos nas patas de vez em quando, e não tinha apresentado nenhum quadro de infecção. Os resultados de seus exames eram todos normais.

Na primeira sessão fiz acupuntura e receitei fitoterapia chinesa para tomar em casa. Dois dias depois, na segunda sessão, voltou mexendo o pescoço e isso foi uma grande conquista. Daí fiz cromoterapia, e na terceira sessão, que foi 5 dias depois, ela já voltou com o histórico de que havia dado uma caminhadinha em casa. Só que na minha frente não andou nada...

Uma semana depois, a grande e esperada vitória: a Luninha chegou andando, correndo, super feliz.


video

A maneira como ela foi cuidada em casa, como vi nos vídeos que ganhei depois, e observava a cada sessão que era trazida, foi fundamental na recuperação da Luna. Fizeram um corredorzinho de tapetes para facilitar o "treino"da caminhada, montaram um carrinho, e encheram ela de carinho e muito estímulo e esperança.  Unindo as sessões feitas aqui e mais todo o apoio da família, é possível ter resultados bons e rápidos.

Meus parabéns a toda a famíla da Luna, inclusive à Cookie, que é sua filhinha branca que é outra fofura! E é a Cookie que empurrava a Luna para estimular a caminhar! Lindas, né?









video

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Uma postagem diferente

Bom, hoje já é 27/12/12, quase dia 28, quase acabando o ano e quase saindo para viajar.
Provavelmente será a última postagem do ano.
Gostaria de aproveitar este momento e colocar aqui uma das promessas para 2013: manter este blog mais atualizado! Adoro escrever sobre meus pacientinhos, mas na correria do dia-dia, sempre acabo fazendo outras coisas e vou deixando pra depois.

A postagem de hoje considero perfeita para encerrar o ano, fazendo um ctrl C + ctrl V do email que uma "mãe"de um poodle carioca pediu para colocar aqui. Achei uma graça, e gostaria de agradecer pelo carinho, sendo que só respondi um email e indiquei alguns colegas do Rio.

E aproveito para desejar a todos um feliz 2013.
Que ano que vem seja muito melhor que este que passou.
Beijos!!!


Olá minha querida Drª Rika Yamane.
Boa tarde

Quero desejar a você um Ano de 2013 maravilhoso,
claro que as lutas são grandes, mas a vitória é certa!!!
 
Gostaria de se possível, você colocasse essas palavras
no seu Blog: Pode usar a foto, sem problema.

Eu, Solange, procurando na Internet algum profissional
da área veterinária de acupuntura , resolvi escrever um
e-mail para uma médica que nunca vi, e fui prontamen-
te atendida com todo amor e carinho pela Drª Rica Yamane.

Se eu não morasse no Rio de Janeiro, com certeza você, Drª,
seria a veterinária do meu baby, meu poodle.

Draª Rika, Deus te abençoe todos os dias de sua vida.
Um beijo grande, tudo de bom para você, uma médi-
ca veterinária compentitíssima e muito gentil.

Com carinho,
Solange
Shalom!








domingo, 26 de agosto de 2012

Spartacus

Tem tantas histórias que quero contar aqui, mas sabem como é... todos os dias aquela correria, daí fico procrastinando, daqui a pouco já estamos encerrando o ano e eu dizendo que "amanhã eu posto, amanhã eu posto..."e nada.

Ainda bem que comecei a atender o Spartacus, que tem um fã-clube imenso, e esse fã-clube está fazendo uma "pequena"pressão para vê-lo no meu blog. E para mim é uma ótima oportunidade de tomar vergonha na cara e escrever.

Apresento a vocês o Spartacus.



Ele é um schnauzer de 14 anos, conheci ele há alguns anos quando eu ainda clinicava, operava, anestesiava, etc. Spartacus e eu éramos muito jovens. Confesso que fiquei surpresa quando ele chegou ao consultório há uma semana, com aquela aparência de cãozinho idoso, e sua "mãe"relatando uma lista de problemas que ele estava apresentando no coração, nos rins, na parte digestiva, com sinais de disfunção cognitiva (parecido com Alzheimer em gente), magrinho, e ao ver ele caminhando notei que estava bem fraquinho.

Quatro dias depois ele veio para segunda sessão junto com o seu filho Maximus. O Spartacus estava alegre, saltitante, andava por tudo, como se mostrasse pro seu filho "olha só, aqui que é aquele SPA que te contei"e sua "mãe" chegou contando que o Spartacus estava mais ativo, com mais apetite, escutando melhor, e ao pegá-lo eu até senti que ele estava mais pesado. Naquele momento eu ganhei o meu dia!



E pasmem, o Spartacus não levou nenhuma agulhada nem na primeira e nem na segunda sessão. Tudo bem, acupuntura significa tratamento com inserção de agulha, mas aproveito a historinha do Spartacus para contar que agora uso também técnicas japonesas que consistem em massagear os pontos com uns materiais próprios. Assim, conseguimos estimular os pontos sem precisar colocar agulha, sem estressar aqueles pacientes que não toleram agulhas, e o resultado é fantástico. É assim que estimulam os pontos de acupuntura em crianças lá no Japão. 





Além dessa massagem,  o Spartacus recebeu moxa e está tomando as fitoterapias chinesas em casa.



Vou ficar super realizada se a cada sessão ele vier com essa proporção de melhoras que ele teve com uma única sessão. E pelo jeito vai ser assim, rejuvenescendo a cada sessão e deixando sua família mais feliz!





sábado, 14 de abril de 2012

Stalone


Este garotão forte que faz juz ao nome é um dos meus xodós.

Comecei a atender o Stalone no final de outubro do ano passado, e quando fui atendê-lo pela primeira vez ele estava completamente incapaz de se manter em pé, muito menos de caminhar. Sua cabeça girava, e em seguida seu corpo também, inclusive quando estava deitado. Ele já estava sendo atendido e tomando remédio, mas ainda não tinha apresentado melhora.

video



video

Nesse primeiro dia, quando fui fazer acupuntura, ainda não tinham fechado o diagnóstico, mas após a primeira sessão, no dia seguinte ele já conseguia caminhar sozinho, porém com a cabeça toda virada para o lado esquerdo.

video


Depois foi feita ressonância magnética, e aí foi descoberto que estava com um tumor de 2mm no cerebelo.  Ao saber do diagnóstico, ele passou a fazer tratamento com oncologista e eu também mudei o protocolo de tratamento, além da acupuntura ele passou a tomar fitoterapia chinesa e a receber injeção de homeopatia anticancerígena nos pontos (farmacopuntura).

O quadro clínico do Stalone era bem grave, e por isso bastante desafiador. Mas graças ao esforço de todos os veterinários que se uniram para cuidar dele e mais o amor e dedicação de seus donos, a cada sessão ele só foi melhorando.

E finalmente no mês passado tivemos a grande notícia após uma outra ressonância: o tumor desapareceu, e no local ficou apenas uma pequena cicatriz.

video

Hoje ele é um bulldog completamente normal, quem vê ele correndo por aí nem imagina o que ele já passou. Seu tamanho e sua força são imponentes mas no fundo no fundo ele é um bebezão dengoso e babão.

Quando ele vem aqui no consultório ele chega arrastando quem quer que esteja segurando sua guia, corre pelo quintal, faz cocô e passa a sessão inteira ansioso querendo voltar para o quintal. É só alegria quando esse meninão vem aqui.